A TRILOGIA DO COLIFORME FECAL


NÃO SE FAZ UMA OMELETE SEM OVOS, MAS SE FAZ TUTU COM UMA PILHA DE COCÔ.

Peço desculpas aos amigos pelo título da Coluna, que beira o absurdo.
Mas a atual situação do Flamengo não me permite escrever diferente.
De fato, não se faz uma omelete sem ovos (já dizia Álvaro Valle, segundo rápida pesquisa que fiz no “oráculo”, digo, Google…, e seu eu estiver errado, corrijam-me, rs).
E claramente nos faltam ovos para fazer uma boa omelete, ou, sequer, uma simples omelete.  O Fla fez um péssimo planejamento para 2012 (que tão bem conhecemos), e, após tanto alardear uma reformulação diante de um primeiro semestre tão tosco, o que vemos, no fim, é o mesmo time bisonho dos primeiros meses do ano, salvo um ou outro engodo.
Em vários setores do time, não há muito a fazer.  Wellington, Marlon, Gonzalez, Frauches, todos cometeram falhas individuais bisonhas ao longo do ano ou do campeonato, que resultaram em gols dos adversários, sem contar erros ridículos cometidos ao longo do ano. Não inspiram nenhuma confiança.  Como muito bem lembrou o querido Douglas Galvão em comentário, na brilhante coluna do Juberto, a zaga reserva do Coritiba é melhor que a titular do Flamengo, e estamos falando de uma das defesas mais vazadas do campeonato.  Coloquemos na conta do Zinho e seus infindáveis nãos, especialmente os quatro mil que ele tomou do Juan, sem buscar efetivamente uma alternativa.
Na lateral esquerda, temos Ramon titular, Magal reserva. Dizer o quê?
Na criação, cogitamos Riquelme, deixamos pra lá, tentamos Diego, em que só o Zinho acreditou na possibilidade de vir – a peso de ouro;  ele não veio, tentamos de novo Riquelme, e tomamos mais um nãoZINHO.  
No ataque, contamos essencialmente com um Vagner Love, que parece entrar cada vez mais com sono ou de ressaca, e fora isso, não há mais ninguém que nos dê a confiança para ser titular.  Agora, o Clube aposta as fichas no Adriano, que é uma incógnita, no meu modo de ver (ainda possuo a esperança de que ele renda alguma coisa).
Tudo bem.  Sem ovos, não fazemos omeletes.  E Dorival Jr. não vai fazer.
Mas e quando o treinador, que já não tem ovos, faz questão de pegar os ovos mais podres e usar no lugar daqueles mais utilizáveis?
Por exemplo. Ibson.  Um jogador que, coincidência, quando entrou no time, este afundou.  Um jogador de muita correria, essencialmente desordenada, de incrível índice de erros de passes, de inteligência e criatividade zero, e marcação pífia.  Qual a sua utilidade? Outro exemplo. Bottinele.  Outro jogador, até esforçado, mas que em nada contribui efetivamente ao time. E o que dizer de Léo Moura?  
Esses são jogadores que, pelo que estão apresentado em campo, podem ser substituídos facilmente por jogadores melhores.  Nenhum craque ou nada espetacular, mas alguém duvida que Muralha, Airton, Adryan, no meio de campo ou Luís Antônio improvisado na lateral direita, fariam papéis melhores do que aqueles?
Dorival Jr. conseguiu montar, inicialmente, um esquema pelo menos minimamente competitivo.  Bastou um jogo ou dois jogos em que não funcionou adequadamente, com resultados adversos, e o treinador modificou tudo. Mas modificou sem tocar o dedo na ferida. Embora os piores jogadores sejam continuamente os mesmos, Léo Moura, Ibson, Botti, sobrou pra quem?  Thomás, Negueba, Adryan…  
Sobrou não para quem deveria sair, mas para quem sai calado.  Para quem cria menos problemas com a reserva.  Para quem não tem os empresários mais influentes…
Caso mais estranho ainda é o do Adryan.  Não fica nem no banco mais.  É considerado indisciplinado, taticamente inútil, desobediente, sei lá o quê.  Mas em um time em que Adriano pode voltar, em que Love se arrasta em campo, Ibson erra tudo, e que os “obedientes” taticamente não conseguem acertar dois passos seguidos, que mal faria, no meio de tantos resultados adversos, colocar um moleque bom de bola e abusado, para jogar?  Dane-se a “utilidade”, a “disciplina”, a “obediência”, precisamos é de um mínimo de talento!
Então, o que Dorival fez foi, não apenas manter os piores, mas adicionar a estes, outros tanto ruins, como o Bottinele.
E, se sem ovos não é possível fazer uma omelete, o que acontece quando o treinador pega os piores entre os piores, junta todos em um time de futebol, e insiste em fazê-los jogar? 
Faz um tutu de bosta! Porque esse time atual do Flamengo, que vem sendo escalado pelo Dorival Jr., não passa disso!
E neste tutu de bosta do Dorival Jr., vem a minha decepção e uma constatação. 
 A decepção, em ver um treinador, que eu julgava sério, correto, escalar por pressão de empresários ou sei lá de quem.  Afinal, só isso explica a insistência com Ibsons e Léo Mouras da vida.  Decepção em ver o treinador, no meio do caos e da pressão, cada vez mais perdido, entregando-se aos velhos vícios dos que comandam o Clube.  Não importa o Flamengo, não importa a sua história, o Clube, a torcida.  Importa proteger os medalhões e os jogadores de empresários.  Ou parece diferente?  
A constatação, ver que, no Flamengo, o critério técnico pouco importa para contratar um treinador.  É irrelevante se é mais ofensivo, defensivo, mais disciplinador, menos disciplinador.  Esse ou aquele nome, nada disso importa na hora de ser escolhido.  Importa, no fim, quem ele escalará, manterá e protegerá.  Ou parece diferente?
Incrível como escrever sobre esse Flamengo de hoje, “versão Patrícia Amorin” (outra parte da Trilogia), é chover no molhado.  Tudo o que eu escrevi, já foi dito, por todos, de uma forma ou de outra, há um ano, há um mês, ontem, será dito amanhã, enquanto esta atual Diretoria aí estiver.  Todos poderiam assinar a coluna comigo, não há novidade nenhuma.  Só o título representa alguma diferença.
Em outras ocasiões, publico as Parte II e III da Trilogia. 
O futuro do Flamengo?  Indefinido.  Não estamos livres da segunda divisão.  Entramos naquela fase em que não ganhamos de mais ninguém, e sequer, conseguimos criar alguma situação efetiva de gol.
O que nos resta é torcer, e muito, para os últimos da tabela perderem.  O grande problema, é que até os últimos da tabela, voltaram a vencer.

QUERO O MEU FLAMENGO DE VOLTA!!
QUEREMOS O NOSSO FLAMENGO DE VOLTA!!
DORIVAL JR.
Apesar de todos os contratempos pelos quais passa o Dorival Jr., alguns, por sua própria culpa, ainda quero ele à frente do Flamengo, ano que vem, iniciando um trabalho de forma decente.  Afinal, não há ninguém, no meu modo de ver, melhor do que ele no mercado do Brasil, e convenhamos, quem vier, passará pelos mesmos problemas e pressão.
JUBERTO.
Juberto, meu amigo.  Não poderia deixar de falar, em hipótese alguma, sobre o seu post. Valeu pela coluna, com a sua marca e assinatura! Grande estréia!  E nos presenteie com seus textos, sempre!

IMPRENSA
Chefe, Patrão, Gestor do Site, e acima de tudo, amigo.
Desejo a você, pronta recuperação, que tenho certeza, é o anseio de todos.
Você faz e nos faz muita falta.
Grande abraço!
Grande abraço, amigos!

Advertisements

Deixe o seu comentário! Obrigado, BLOG FLAETERNO!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s