Dia do Flamenguista : Hoje, ontem e sempre !

Flaeternos amigos, 
este domingo é consagrado ao Dia do Flamenguista. Para nós, este dia é só mais um nessa verdade eterna de “Como é bom ser Flamengo”. Não importa a idade de cada torcedor, todos nós já vivemos dias de glória e dias tristes. Alguns, mais sortudos como eu, vimos o esquadrão do Zico em campo. Outros, mais sortudos ainda, viram Dida, Evaristo, Zizinho, Carlinhos, Rubens, Dequinha. Mas todos, sem exceção, podem bater no peito e dizer : “Pertenço à grande Nação Rubronegra”. Este sentimento, tal e qual o anúncio, simplesmente não tem preço. Quantos desconhecidos já abraçamos na comemoração de um gol ? Quantas vezes começamos uma segunda feira sem voz de tanto gritar no estádio ? Quantas risadas demos dos torcedores dos outros times, derrotados mesmo quando sua supremacia teórica parecia invencível ? Quantas lágrimas derramamos, algumas de tristeza, mas tantas de uma alegria incontida, de uma euforia que nenhuma droga do mundo pode igualar ? Em quantas ocasiões constatamos que onde há um Flamengo, há um amigo ? Quantos livros já lemos, quantos vídeos já vimos, quantas versões do nosso hino já escutamos, quantas camisas, ou melhor, mantos sagrados, já compramos ? Quantos escudos do Mengão já exibimos em chaveiros, abridor de garrafas, adesivos de carro, isqueiros, canetas, copos…

Para o Ser Flamengo, poucas coisas podem superar este amor. Talvez apenas o próprio amor, a família, e quase nada mais. E mesmo assim, quantas vezes a própria família ficou para trás, e o próprio amor ficou esperando enquanto torcíamos para a bola entrar e para o time ser campeão ? Ser Flamengo não é uma doença, mas é incurável e para toda a vida. Ser Flamengo é falar de nossos craques, mesmo nunca tendo visto jogar uma boa parte deles. Ser Flamengo é ser orgulhoso, pois mesmo os mais humildes tentam, mas a história de sucessos e conquistas não nos permitem esta falsa modéstia. Ser Flamengo é ter amigos desconhecidos em todo o mundo, é vibrar quando vemos uma pessoa vestindo o manto do outro lado do planeta, é contar quantas camisas rubro-negras vemos, mesmo quando estamos tão afastados dos centros urbanos e das capitais. Ser Flamengo é ter assunto imediato ao conhecermos outro flamenguista. Ser  Flamengo é participar de blogs rubronegros mesmo com vida dura nos cobrando todo o tempo do mundo. Ser Flamengo é contar vantagem mesmo quando o time não vai bem. Ser Flamengo é fazer campanha contra um dirigente mesmo sem ter direito a voto. Ser Flamengo é falar mal do time, do técnico e de cada jogador que não jogou bem, mas não permitir jamais que outro torcedor de outro time faça o mesmo. Ser Flamengo é guardar dinheiro para a final, para a condução, e para a cervejinha que serve tanto para comemorar como para afogar as mágoas de uma (sempre injusta) derrota. Ser Flamengo é cantar com a torcida, é gritar o nome de cada jogador, é berrar na janela quando o gol sai, mesmo estando em terras estrangeiras. Ser Flamengo é um pedaço enorme da nossa vida. Tanto que as vezes achamos que é até maior que a nossa própria existência. Ser Flamengo é achar a imprensa vendida e os juízes ladrões. Ser Flamengo é xingar o atleta que ontem aplaudimos. Ser Flamengo é sofrer no paraíso.

Por isso, amigos flamengos, por mais que a situação atual não seja a desejada, por mais mal que alguns dirigentes tentem fazer ao nosso clube de coração, por mais que a cadeia não seja suficiente penitência para os bandidos que continuam se acercando da Gávea, por mais surda que seja a nossa comissão técnica, não é hora de desânimo. Neste domingo de eleições em tantas cidades, vista o seu manto e saia por aí. Mostre o orgulho de quem, uma vez Flamengo, será Flamengo até morrer ! Neste domingo, vamos dar uma pequena amostra do que é pertencer a maior comunidade do mundo. Conte quantas pessoas estarão vestidas de rubronegro na rua. Dê um sorriso de cumplicidade quando encontrar um irmão de fé flamenga. Vamos colorir o Brasil de preto e vermelho. As gerações se sucedem e esta Nação não para de crescer. A cada ano nascem mais flamenguistas do que morrem. E no céu, com certeza, já somos maioria também. Que este domingo seja uma injeçãoo de ânimo neste time irregular, para que possamos encerrar este ano com alguma dignidade e alegria. Que a massa rubronegra mostre nas ruas o que o time não mostrou em 2012. E que 2013 seja o ano da redenção, com uma administração profissional e um time formado de craques e pratas da casa.


Saudações Rubronegras e parabéns por ser Flamenguista !

Anúncios

Deixe o seu comentário! Obrigado, BLOG FLAETERNO!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s