PRIMEIRAS IMPRESSÕES DO FLA – BRASILEIRÃO 2013

Amigos queridos Flaeternos.

Sei que uma partida apenas é um pouco prematuro para pensarmos em perspectivas em termos de campeonato. 
Mas acho que dá pra arriscar algumas observações, e seguem minhas primeiras impressões. 

Pensemos.  Jogo de estreia do Brasileirão.  Teoricamente, fora de casa (embora tenha sido em casa!! rs), contra um dos grandes do futebol Brasileiro, finalista do Campeonato Paulista, com um dos maiores treinadores do país, e tendo em campo, o grande jogador do Brasil na atualidade se despedindo, além de jogadores do quilate de Montillo, Arouca, Edu Dracena…
Pouca coisa?

Sem dúvida, até agora, na minha concepção, o jogo mais difícil do Flamengo e do Jorginho no ano!  Uma prova de fogo!
E pra mim, o time não decepcionou.  Ao contrário, vimos um Fla que anulou o time do Santos e sua estrela.  Além disso, mesmo sem ser muito envolvente, o rubro-negro conseguiu criar várias chances claras de gols, que lamentavelmente, perdemos (o que não invalida a boa partida).

Claro, há algumas coisas a corrigir.  Não sou um grande conhecedor tático, mas tenho algumas críticas.  Rafinha e Gabriel, por exemplo, não podem passar o jogo voltando até a grande área do Flamengo para cobrir as laterais – um por conta do Léo Moura, na direita, outro, por conta Renato, que não cobre as subidas do Ramon, no lado esquerdo do campo.  Além disso, Luis Antônio jogando na função do Amaral é, pra mim, um gigantesco desperdício.  Não possui o poder de marcação do Amaral (estar no banco pra mim, é uma tremenda injustiça), e como fica muito preso à frente da zaga, perde uma de suas melhores características, que é ofensividade.  Melhor estaria no lugar do Renato Abreu.
Outro erro é o Renato ser titular deste time.  Falando sério, sem qualquer radicalismo agora.  Corrijam-me se estiver errado, e aceitarei numa boa.  Renato fez umas três partidas em que se destacou, principalmente pelos gols que marcou. Depois, voltou a ser o velho Renato de sempre. Medíocre. Repetindo o ciclo dos últimos anos. Não marca, não cria.  Joga quase de centroavante, com toda a liberdade, embora nada produza. E agora, após um chilique absurdo (inexplicavelmente sem qualquer consequência na atual Gestão), em virtude de sua merecidíssima substituição na partida anterior (fato ainda mais grave uma vez por ter sido cometido por quem se auto intitula líder do time e é apontado com exemplo para os mais jovens), tornou-se novamente titular absoluto do time e insubstituível.  Fez uma partida horrenda no domingo, ficando até o fim em campo. 

Entretanto, há pontos positivos que merecem ser destacados.  Gostemos ou não do esquema (eu particularmente não gosto de time que joga com um atacante apenas), o time parece arrumadinho.  Nada de fantástico, mas bem diferente do bacanal que vinha caracterizando o Flamengo nos últimos anos.  Vimos um time, pra dizer o mínimo, consistente.
E essa consistência ajuda a dupla de zaga, que vem (ufa!) se portando bem. Gonzalez e Renato Santos formam um dupla bem razoável, que não vem nos dando sustos.  Acho que ainda precisamos de um baita xerifão ali, mas pelo menos essa defesa não vem cometendo as loucuras e falhas toscas de outrora…

Na lateral esquerda, Ramon tem sido menos Ramon… Mais sereno, mais calmo, embora sem muita qualidade.  Mas pelo menos não parece que vai ser expulso ou cometer uma maluquice jogo sim, jogo não… 
Outra coisa que tem chamado minha atenção de forma positiva é a postura do Gabriel.  Pra mim, vem crescendo a cada jogo.  E, ao contrário do Rafinha (concordo que não está pronto para ser titular, embora possua qualidade), não sente e se ressente de seus erros.  Não importa, por exemplo, quantos chutes errados o Gabriel dê, ele continua a tentar.  Não se omite, não desiste, não se esconde. Claro que tem fundamentos a aprimorar, como o próprio chute a gol, mas é uma joia que vem crescendo a cada jogo, e me enchendo os olhos!  Uma aposta que vem dando absolutamente certo.

Por fim, gostei muito do Marcelo Moreno.  Entrou com moral, buscou jogo, mostrou categoria, deu mostras de que nos será muito útil.  Acho que bem entrosado com o time, e com o meio encostando mais e deixando ele um pouco menos isolado, tem tudo para crescer e ajudar muito ao Flamengo.
Além disso, Elias, Léo Moura, Rafinha, que não vêm sendo brilhantes, pelo menos, a meu ver, não vêm comprometendo.

Sinto que com alguns ajustes e com duas ou três contratações bem pontuais, o time pode fazer um bom papel no Brasileirão – 2013.
Excetuando-se o Atlético Mineiro, por motivos óbvios, o CU rintia, por ter um time já formado, e Fluminense, Inter, Cruzeiro, Grêmio, e talvez o São Paulo, pela força de seus elencos, penso que os demais times estão no mesmo patamar que a gente.

Sinto que, salvo um desastre, podemos fazer um bom papel nesse Brasileirão.

Grande abraço a todos!

Anúncios

Deixe o seu comentário! Obrigado, BLOG FLAETERNO!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s